Bibliografia

                                                                                                                                           voltar

                         Bibliografia pessoal

RIBEIRO, S. L. S. ; CARVALHO, Maria Lucia Mendes . História Oral na Educação: memórias e identidades. 1. ed. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2013.

______; MEIHY, J. C. S. B. Guia Prático de História Oral. São Paulo: Contexto, 2011.

______; SANTOS, Andrea Paula dos. Memórias de uma comunidade científica no cenário de Simão Mathias: histórias e trajetórias de cientistas da Química no Brasil. In: AFONSO-GOLDFARB, Ana Maria; FERRAZ, Márcia H. M.; BELTRAN, Maria Helena Roxo; SANTOS, Andrea Paula dos. (Org.). Simão Mathias – cem anos: Química e História da Química no início do século XXI. 1 ed. São Paulo: SBQ, PUC-SP, 2010, p. 127-259.

______. Contando História: o Departamento de Contabilidade e Atuária – FEA/USP entre números e palavras. São Paulo: D´Escrever, 2009.

______. Ser médico da EPM: em busca de uma identidade. In: GALLIAN, Dante Marcello Claramonte. (Org.). Recortes da Memória: lembranças, compromissos e explicações sobre a EPM/ UNIFESP na perspectiva da história oral. 1a ed. São Paulo: Editora da Unifesp, 2009, p. 151-171.

______. Extraordinário cotidiano feminino: idas e vindas de uma vida. In: RIBEIRO, S. L. S.; MAGALHÃES, V. B.; BRITO, F. B. et alli.(Org.). Narrativas e Experiências: Histórias orais de mulheres brasileiras. São Paulo: D’Escrever, 2009, p. 125-145.

______. Tramas e traumas: identidades em marcha. São Paulo: DH/FFLCH/USP, 2008.

______. História Oral na Escola: instrumentos para o ensino de história. Oralidades, São Paulo, no. 4 – jun/dez 2008, pp. 99-109.

______, IOKOI, Zilda, ANDRADE, Marcia e REZENDE, Simone. Vozes da terra: histórias de vida dos assentados rurais de São Paulo. São Paulo: Fundação ITESP/ Imprensa Oficial, 2005.

________ (org) 20 anos de Educação. Boletim de Educação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, no 09. São Paulo: MST, 2004.

________ (et al.) Adolescentes: sujeitos da escolarização, In: MST. Alternativas de escolarização dos adolescentes em assentamentos e acampamentos do MST. Coleção cadernos Iterra, Ano III, nº 8, novembro de 2003.

________. Engenheiro Maia: o dia a dia de conquistas de uma escola. IN: Cadernos do Iterra “Alternativas de escolarização dos adolescentes em assentamentos e acampamentos do MST” – Veranópolis – RS; Iterra, 2003, p.121-144.

______. Processos de mudança no MST: história de uma família cooperada. São Paulo, Dissertação de Mestrado DH/FFLCH, 2002.

______. O inesperado em história oral. IN: ATAÌDE, Yara (org.) Do Oral ao Escrito: 500 anos de história do Brasil. Salvador: UNEB, 2000.

______. MEIHY, J. C. S. B. e SANTOS, A. P. dos. Vozes da marcha pela terra. São Paulo: Loyola, 1998.


                               Bibliografia História Oral

ALMEIDA, Juniele Rabêlo de. Tropas em protesto: o ciclo de movimentos reivindicatórios dos policiais militares brasileiros no ano de 1997. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2010.

AMADO, Janaína. Nós e o espelho. IN: FERREIRA, M.; FERNANDES, T.; ALBERTI, V. História Oral, desafios para o século XXI. Rio de Janeiro: FGV/CPDOC, 2000.

ANDERSON, Benedict R. Imagined communities: reflections on the origin and spread of nationalism. London; New York: Verso, 1991.

ANDRADE, Margarida. Introdução à metodologia do trabalho científico. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 1998, pp 105-112.

ARAÚJO, João Mauro Barreto de. Cantadores Repentistas no Nordeste Brasileiro: Tradição e Modernidade. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2007.

ATAÍDE, Yara Dulce Bandeira de. Decifra-me ou te devoro: história oral dos meninos de rua de Salvador. São Paulo: Loyola, 1993.

________. Clamor do presente: história oral de famílias em busca da cidadania.  São Paulo: Loyola, 2002.

BARBOSA, Xênia de Castro. Experiências de moradia: história oral de vida familiar. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2009.

BARNET, Miguel. Memórias de um Cimarron: testemunho. São Paulo: Marco Zero, 1986.

BENJAMIN, Walter. O narrador. In: Magia e técnica, arte e política. Obras escolhidas, vol. 1. São Paulo: Brasiliense, 1987, pp.197-221.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

BOSI, Ecléa. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

________. Memória e sociedade. Petrópolis: São Paulo: TA Queirós, 1979.

BOURDIEU, Pierre. A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 1997.

BRITO, Fábio Bezerra de. Ecos da Febem: história oral de vida de funcionários da Fundação Estadual de Bem-Estar do Menor de São Paulo. São Paulo: DH-FFLCH-USP, 2002.

______. “Transcrição em história oral” IN: ATAÌDE, Yara (org.) Do Oral ao Escrito: 500 anos de história do Brasil. Salvador: UNEB, 2000.

BURGOS, E. Me llamo Rigoberta Menchú y así me nasció la conciencia. 6ª ed. México: Siglo Veintiuno, 1991.

CALDAS, Alberto. Nas águas do texto: palavra, experiência e leitura em história oral. Porto Velho/RO: EDUFRO, 2001.

______.  Oralidade, Texto e História: para ler a história oral. São Paulo: Loyola, 1999.

______. “Transcriação em história oral”. NEHO História. nº 1, São Paulo: USP, nov/1999.

CAMPOS, Haroldo. A operação do texto. São Paulo, Perspectiva, 1976.

________. Metalinguagem. São Paulo: Cultrix, 1976.

CASTRO, Mauricio de Barros. Na Roda do Mundo- Mestre João Grande entre a Bahia e Nova York. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2007.

CHAUVEAU, Agnès. Questões para a história do presente. Bauru, SP: EDUSC, 1999.

CLIFFORD, James & MARCUS, G. (edit.) Writting Culture: the Poetics and Politics of Ethnography. Los Angeles: Univ. of California Press, 1986.

CUTTLER, Willian. Accuracy in oral history interviewing. IN: DUNAWAY, D.; BAUM, W (ed.). Oral History: an Interdisciplinary Anthology. American Ass. for State, 1984.

D´ARAUJO, Maria; SOARES, Glaucio; CASTRO, Celso (orgs.). Visões do golpe. Rio de Janeiro: Relumi-Damará, 1994.

DIEHL, A. A. Cultura historiográfica. Memória, identidade e representação. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

DIGIAMPIETRI, Maria Carolina Casati. “Uma proposta não prosaica de apresentação de narrativas orais”. In: Oralidades. Revista de História Oral. São Paulo, n.6, Jul-Dez/2009.

DUNAWAY, David K. & BAUM, Willa K. (orgs) Oral history. An interdiciplinary anthology. Nashvile: American Association for State and Local History/ Oral History Association, 1984.

EVANGELISTA, Marcela Boni. “A transcriação em história oral e a insuficiência da entrevista”. In: Oralidades. Revista de História Oral. São Paulo, n.7, Jan-Jun/2010.

FELIX,  Isabel Regina. Os sapateiros na cidade de São Paulo:trabalho e militância. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2001.

FERREIRA, Marieta de Moraes. & AMADO, Janaína. (orgs.) Usos e Abusos da História Oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996.

______(org). Entre-vistas: abordagens e usos da história oral. Rio de Janeiro. Fundação Getúlio Vargas, 1994.

______ (org.). História Oral e multidisciplinariedade. Rio de Janeiro. Diadorin Editora, 1994.

______. Desafios e dilemas da história oral nos anos 90: o caso do Brasil Revista de História Oral, nº 1, 1988.

FLORES, W. V. & BENMAYOR, R. (orgs.) Latino cultural citizenship. Boston: Beacon Press, 1997.

FRASER, Nancy. Rethinking the public sphere: a contribution to the critique of actually existing democracy.  In: s/d, pp 58 – 80.

FREITAS, Sônia Maria de. História Oral: possibilidades e procedimentos. São Paulo: Humanitas e Imprensa Oficial SP, 2002.

______. E chegaram os imigrantes: café e imigração em São Paulo. São Paulo: Editado pela autora, 1999.

FRIEDLANDER, Peter. Theory, method and oral history. IN: DUNAWAY, D.; BAUM, W (edit.). Oral History: an Interdisciplinary Anthology. American Ass. for State, 1984.

GATTAZ, André Castanheira. Braços da resistência: uma história da imigração espanhola. São Paulo: Xamã, 1996.

GRELE, Ronald J. “La Historia y sus Lenguajes en la Entrevista de Historia Oral, Quién Contesta a las Preguntas de Quién y Por Que?”, Historia y Fuente Oral, nº 5, 1991, pp. 111-29.

GROS, F. (org). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

HEIFETZ, J. Oral history and Holocaust. Oxford: Pergamon Press, 1984.

História Oral, vários números, Revista da associação Brasileira de História Oral.

HOLANDA, Fabíola. EPM/UNIFESP: História e Trajetória Afetiva In: Recortes da Memória: lembranças, compromissos e explicações sobre a EPM/Unifesp na perspectiva da História Oral.1 ed.São Paulo : Editora UNIFESP, 2009, v.1, p. 79-94.

______. Construção de Narrativas em História Oral: Em Busca de Narradores Plenos. Oralidades (USP). , v.1, p.15 – 32, 2009.

______. Experiência e Memória. A palavra contada e a palavra cantada de um nordestino na Amazônia. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2006.

______. A Doença do Abandono e da Perda: História Oral com Moradores da Comunidade Santa Marcelina, RO. Mandrágora (São Bernardo do Campo). , v.1, p.84 – 92, 2006.

______ e MENEZES, Niza. Jorge Teixeira: Uma contribuição Documental. Porto Velho : EDUFRO- Editora da Universidade Federal de Rondônia, 2006.

______.  Memória Construída: Comunidade de Destino, Colônia e Rede. Primeira Versão (UFRO). , v.1, 2002.

JOUTARD, Philipe. Esas voces que nos llegan del pasado. Mexico: Fondo de Cultura Economica. 1986.

KOTRE, John. Luvas Brancas. São Paulo: Mandarin, 1997.

MAGALHÃES, Valéria Barbosa de. Brasileiros no Sul da Flórida – Subjetividade, Identidade e Memória. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2006.

_____.  Duas diferentes experiências em História Oral: os casos do NEHO e do CERU. IN: ATAÌDE, Yara (org.) Do Oral ao Escrito: 500 anos de história do Brasil. Salvador: UNEB, 2000.

MEYHI, José Carlos Sebe Bom. História de vida de um travesti. Oralidades (USP), v. 7, p. 185-204, 2010.

______ e HOLANDA, Fabíola. História Oral. Como fazer, como pensar. 1. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2007.

______. Dez preconceitos contra história oral. In Oralidades (USP), v. 1, p. 1-15, 2007.

______. Augusto & Lea – Uma história de (des)amor em tempos modernos. 1. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2006.

______. Os novos rumos da história oral. In Revista de História (USP), v. 155, p. 1-20, 2006.

______. Brasil fora de si: experiências de brasileiros em Nova York. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

______. Manual de história oral. 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5 ª ed. São Paulo: Loyola, 1996, 1998, 2000, 2002 e 2004.

______. La radicalización de la historia oral. In: Palabras e silencios. Revista de la Asociación Internacional de Historia Oral. Nueva Época, vol 2, n. 1, junio 2003, pp. 33-45.

______. Desafios da história oral latino-americana: o caso do Brasil. IN: FERREIRA, M.; FERNANDES, T.; ALBERTI, V. História Oral, Desafios para o Século XXI. Rio de Janeiro: FGV/CPDOC, 2000.

______ (org.). (Re)Introduzindo história oral no Brasil. São Paulo: Xamã, 1996.

______ & Levine, R. M. Cinderela Negra. A Saga de Carolina Maria de Jesus. Rio de Janeiro: UFRJ, 1994.

______. Canto de morte Kaiowá: história oral de vida. São Paulo: Edições Loyola, 1991.

______. A Colônia Brasilianista: história oral de vida acadêmica. São Paulo: Nova Estela Editorial, 1990.

MONTENEGRO, Antônio. História Oral e Memória: a Cultura Popular Revisitada. São Paulo: Contexto, 1992.

MORI, Nerli Nonato Ribeiro. Memória e identidade: travessia de velhos professores. Maringá: EDUEM, 1998.

NADER, Ana Beatriz. Os autênticos do MDB. História oral de vida política. Petrópolis: Paz e Terra, 1998.

NEVES, Eloiza Maria Neves. História de Vida de Mulheres Negras no Carnaval Paulistano. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, 1998.

NORA, P. Les France, Paris, Gallimard,1984, p.20, citado por ENDERS, A. Les Lieux de Mémoire, dez anos depois. In: http://www.cpdoc.fgv.br/revista/arq/119.pdf, acessado em11/01/07.

OLIVEIRA, Cássia Milena Nunes. MST: A juventude como caminho. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2010.

OSMAN, Samira Adel. Entre O Líbano e o Brasil: Dinâmica Migratória e História Oral de Vida. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2007.

______. Caminhos da Imigração Árabe Em São Paulo: História Oral de Vida Familiar. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, 1998.

PASSERINI, Luiza. Facism in Popular Memory. Cambridge/Paris: Maison des Sciences de L´Homme/Cambridge Univ. Press, 1987.

PATAI, Daphne. Brazilian Women Speak: Contemporary Life History. New Brunswick and London: Rutgers Univ. Press, 1988.

_____________& GLUCK, S. B. Women´s Words. The Feminist Practice of Oral History. New York/London: Routledge, 1991.

PEREIRA, Lígia. Algumas reflexões sobre histórias de vida, biografias e autobiografias Revista de História Oral, nº 3, jun/2000.

PLÁ BRUGAT, Dolores. Los Niños de Morelia. Mexico: Instituto Nacional de Antropología y História, 1985.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento e silêncio. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol. 2, nº 3, 1989.

______. Memória e identidade social. In: Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, ano 10, 1992, pp.200-212.

PORTELLI, Alessandro. The Order Has Been Carried out: History, Memory, and Meaning of a Nazi Massacre in Rome. New York: Palgrave Macmillan, 2003.

______. Tentando aprender um pouquinho. Algumas reflexões sobre a ética em história oral. São Paulo: Projeto História nº 15, abr/1997.

______. O que faz a história oral diferente. São Paulo: Projeto História nº 14, fev/1997.

______. Sonhos ucrônicos: memórias e possíveis mundos dos trabalhadores. Revista Projeto História. São Paulo, nº 10, dez/1993.

______. The death of Luigi Trastulli and other stories: form and meaning in oral history. Albany: N.Y., SUNY Press, 1991.

QUEIROZ, Maria Isaura P. – Variações das técnicas de gravador no registro da informação viva. São Paulo: T. A. Queirós, 1991.

______. Do dizível ao indizível. IN: VON SIMSON, Olga (org.). Experimentos com Histórias de Vida. São Paulo: Vértice, 1988.

RIBEIRO, Suzana Lopes Salgado e SANTOS, Andrea Paula dos. Memórias de uma comunidade científica no cenário de Simão Mathias: histórias e trajetórias de cientistas da Química no Brasil. In: AFONSO-GOLDFARB, Ana Maria; FERRAZ, Márcia H. M.; BELTRAN, Maria Helena Roxo; SANTOS, Andrea Paula dos. (Org.). Simão Mathias – cem anos: Química e História da Química no início do século XXI. 1 ed. São Paulo: SBQ, PUC-SP, 2010, p. 127-259.

______. Contando História: o Departamento de Contabilidade e Atuária – FEA/USP entre números e palavras. São Paulo: D´Escrever, 2009.

______. Ser médico da EPM: em busca de uma identidade. In: GALLIAN, Dante Marcello Claramonte. (Org.). Recortes da Memória: lembranças, compromissos e explicações sobre a EPM/ UNIFESP na perspectiva da história oral. 1a ed. São Paulo: Editora da Unifesp, 2009, p. 151-171.

______. Extraordinário cotidiano feminino: idas e vindas de uma vida. In: RIBEIRO, S. L. S.; MAGALHÃES, V. B.; BRITO, F. B. et alli.(Org.). Narrativas e Experiências: Histórias orais de mulheres brasileiras. São Paulo: D’Escrever, 2009, p. 125-145.

______. Tramas e traumas: identidades em marcha. São Paulo: DH/FFLCH/USP, 2008.

______. História Oral na Escola: instrumentos para o ensino de história. Oralidades, São Paulo, no. 4 – jun/dez 2008, pp. 99-109.

______, IOKOI, Zilda, ANDRADE, Marcia e REZENDE, Simone. Vozes da terra: histórias de vida dos assentados rurais de São Paulo. São Paulo: Fundação ITESP/ Imprensa Oficial, 2005.

______. Processos de mudança no MST: história de uma família cooperada. São Paulo, Dissertação de Mestrado DH/FFLCH, 2002.

______. O inesperado em história oral. IN: ATAÌDE, Yara (org.) Do Oral ao Escrito: 500 anos de história do Brasil. Salvador: UNEB, 2000.

______. MEIHY, J. C. S. B. e SANTOS, A. P. dos. Vozes da marcha pela terra. São Paulo: Loyola, 1998.

SALUM, Alfredo Oscar. Palestra Itália e Corinthians: quinta coluna ou tudo buona gente?. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2008.

SANTOS, Andrea Paula dos. Ponto de vida, cidadania de mulheres faveladas. São Paulo: Loyola, 1996.

______. À Esquerda das Forças Armadas Brasileiras: histórias de vida de militares de esquerda. São Paulo: DH-FFLCH-USP, 1998.

______. Reforma agrária entre a polarização a negociação e o conflito: resistência e participação do MST nos governos do PT do MS e do RS (1999-2002). Tese de doutorado. São Paulo: DH/FFLCH/USP, 2003.

SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós-moderna: intelectuais, arte e vídeo-cultura na Argentina. Rio de Janeiro, Ed. UFRJ, 1997.

______. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras, Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

SOUZA, Natanael Francisco de. Raízes do pentecostalismo no Brasil: a canção da mudança. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2008.

STARECHSKI, A. e ALBARELLI, G. The telling lives oral history curriculum guide. New York, Columbia University, 2005.

THOMSON, Alistair. Aos 50 anos: uma perspectiva internacional da história oral. IN: FERREIRA, M.; FERNANDES, T.; ALBERTI, V. História Oral, desafios para o século XXI. Rio de Janeiro: FGV/CPDOC, 2000.

THOMPSON, Paul. A voz do passado. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

TREBISTCH, M. A função epistemológica e ideológica da história oral no discurso da história contemporânea. In: MORAES, M. (org.) História oral. Rio de Janeiro, Diadorin, 1994.

TUCHMAN, Barbara. Distinguishing the significant from the insignificant. IN: DUNAWAY, D.; BAUM, W (edit.). Oral History: an interdisciplinary anthology. American Ass. for State, 1984.

VANSINA, J. Oral Tradition as History. Madison: University of Wisconsin Press, 1985.

VIEIRA, Maria Eta. A caballo entre dos mundos:guerra civil espanhola e o “exílio” infantil. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2001.

VIEZZER, Moema. “Se me deixam falar…” Domitila – Depoimento de uma Mineira Boliviana. 14ª ed. São Paulo: Global, 1990.

VILANOVA, Mercedez. Las Mayorias Invisibles. Explotación fabril, Revolución y represión. Barcelona: Icaria/Antrazyt, 1997.

______. La historia sin adjetivos com fuentes orales y la historia del presente. História Oral, n º 1, Associação Brasileira de História Oral, 1998, p.31-42.

VON SIMSON, Olga (org.). Experimentos com Histórias de Vida. São Paulo: Vértice, 1978.

WEBER, Devra. “Dark sweat, white gold – California farm workers, cotton, and the New Deal. Berkeley: University of California Press, 1994.

WOLDENBERG, José. Las ausecias presentes. Mexico: Caly Arena, 1992, p. 26.

WOOD, L. Oral history projects in your classroom. EUA, Oral History Association, 2001.

YOW, Valerie Raleigh. Recording Oral History: a guide for the humanities and social sciences. Walnut Creek, CA: AltaMira Press, 2005.

ZELDIN, Theodore. Uma história íntima da humanidade. Rio de Janeiro/São Paulo: Ed. Record, 1996.

 

                               Bibliografia Teoria

AGAMBEM, G. Homo sacer: o poder soberano e a vida nua I. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002.

AGAMBEN, Giorgio. Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

ANDERSON, Benedict R. Imagined communities: reflections on the origin and spread of nationalism. London; New York: Verso, 1991.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1979.

AUGÉ, Marc. Não-lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas/SP: Papirus, 1994.

AZZAN JR, Celso. Antropologia e interpretação: explicação e compreensão nas antropologias de Lévi-Strauss e Geertz. Campinas: Ed. Unicamp, 1993.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: Estética da Criação Verbal. 2a. ed., São Paulo: Martins Fontes, 1997,  pp. 279-326.

BARBOSA, Márcio Ferreira. Experiência e narrativa. Salvador: EDUFBA, 2003.

BARROS, José D’Assunção. O campo da história: especialidade e abordagens. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

BARTHES, Roland. Análise Estrutural da Narrativa. Petrópolis: Vozes, 1976.

________. Elementos de semiologia.10 aed. São Paulo: Cultrix, 1997.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005a.

______. Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2005b.

______. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

______. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BENJAMIN, Walter. Walter Benjamin. Obras Escolhidas. Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo, Ed. Brasiliense, 1985.

BENKO, Georges. Economia, espaço e globalização na aurora do século XXI.  São Paulo: Hucitec, 1996.

BERGER, Peter L. e LUCKMANN, Thomas – A construção social da realidade, Petrópolis, Vozes. 1966.

BÉRGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

BLOCH, Marc. Apologia da História ou o ofício de historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar ed., 2001.

BOFF, Leonardo. Responder Florindo: da crise da civilização a uma revolução radicalmente humana. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

BRESCIANI, Stella e NAXARA, Márcia (orgs.) Memória e (res)sentimento: indagações sobre uma questão sensível.Campinas. Editora da Unicamp, 2001.

BRISON, Susan J. Aftermath: violence and the remaking of a self. Princeton, NJ: Princeton University Prress, 2003.

BRITO, Fábio Bezerra de. Ecos da Febem: história oral de vida de funcionários da Fundação Estadual de Bem-Estar do Menor de São Paulo. São Paulo: DH-FFLCH-USP, 2002.

BRUNER, E. M. Ethnography as narrative. IN: TURNER, V. W. and BRUNER, E. M. (org). The anthropology of experience. Chicago: University of Illinois Press, s/d.

BURGUIÈRE, André (org). Dicionário das ciências históricas. São Paulo: Imago, 1993.

BURKE, Peter. A Escola dos Annalles, 1929-1989. A revolução francesa da historiografia. São Paulo: Unesp, 1991.

________ (org). A escrita da história: novas perspectivas. São Paulo: Ed. UNESP, 1992.

________. História e teoria social. São Paulo, Editora Unesp, 2002.

CAIRE-JABINET, Marie-Paule. Introdução à historiografia. Bauru/SP: Edusc, 2003.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas, estratégicas para entrar e sair da modernidade. EDUSP, São Paulo. 1997.

CARR, Edward Hallet. Que é História? São Paulo/Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, 2002.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. Coleção A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura, Volume 2. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

CASTORIADIS, Cornelius. As encruzilhadas do labirinto II. Os domínios do homem. s/d.

________. Os intelectuais e a história. In: As encruzilhadas do labirinto 13. O mundo fragmentado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

CHARTIER, Roger. A beira da falésia, a história entre certezas e inquietude. Porto Alegre, ed. Universidade/UFRGS, 2002.

CHAUI, Marilena. Público, privado, despotismo. In: Novaes, A. (org.) Ética. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, p.345 – 390.

CLIFFORD, James. The predicament of culture. Harvard: Harvard University Press, 1988.

DENZIN, Norman K. Interpretative Biography. Thousand Oaks, CA: Sage, 1989.

DERRIDA, Jacques e BENNINGTON, Geoffrey. Jacques Derrida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

________. Gramatologia (1967). São Paulo: Perspectiva; Editora da USP, 1999.

________ e ROUDINESCO, Elisabeth. De que amanhã… Diálogo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

DIEHL, Astor Antonio. Cultura historiográfica. Memória, identidade e representação. Bauru/SP: EDUSC, 2002.

DOSSE, François. A História em migalhas. São Paulo: Ed. Unicamp, 1989.

ELIAS, Norbert e SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders. Sociologia das relaçõesde poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2000.

ENDERS, Armelle. Les Lieux de Mémoire, dez anos depois. In : http://www.cpdoc.fgv.br/revista/arq/119.pdf, acessado em 11/01/07.

FEBVRE, Lucien. Combates pela história. Lisboa: Ed. Presença, 1989.

FONSECA, Claudia; BRITES, Jurema (Orgs.) Etnografias da participação. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2006.

FORTUNA, Carlos. Cidade, cultura e globalização: estudos de sociologia. Disponível em: www.ces.uc.pt/publicacoes/outras/199701/01introducao.php, acessado em 22/04/06.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

________. A ordem do discurso. São Paulo: Ed. Loyola, 2004.

FRASER, Nancy. Rethinking the public sphere: a contribution to the critique of actually existing democracy. IN: Social Text, no 25/26. Durham, NC: Duke University Press, 1990, p 57.

FUKUYAMA, Francis. The End of History and the Last Man. New York: Free Press, 1992.

FURET, François. A oficina da História. Lisboa: Gradiva, 1991.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1989.

________. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Rio de Janeiro (RJ): Vozes, 1997.

________. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

________. Obras e vidas: o antropólogo como autor. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2002.

GIDDENS, Anthony. As conseqüências da modernidade. São Paulo, Ed. UNESP, 1991.

________. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 2002.

GOFFMANN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

GROS, Frederic (org). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

HABERMAS, Jürgen. Citizenship and national identity. In: B. van Steenberg (org.) the condition of citizenship.  London: Sage, 1994, pp.21 – 35.

HALBAWCS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

HALL, Stuart, at alli. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2004.

________. A identidade cultural na pós modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.

HOBSBAWM, Eric. Rebeldes primitivos. Estudos sobre formas arcaicas de movimentos sociais nos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1970.

_________. Era dos Extremos. O breve século XX, 1914-1991. São Paulo, Cia. das Letras, 1996.

________. Pessoas extraordinárias: resistência, rebelião e jazz. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

HUNT, Lynn. A nova história cultural. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

HUYSSEN, Andréas. Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos, mídia. Rio de Janeiro: Aeroplano Editora, 2004.

IOKOI, Zilda M. Grícoli e QUEIROZ, Tereza Aline P. de. A história do historiador. São Paulo: Humanitas, 2003.

JAMESON, Fredric. A cultura do dinheiro. Ensaios sobre a globalização. Petrópolis/RJ: Vozes, 2001.

JENKINS, Keith. A história repensada. São Paulo: Ed. Contexto, 2005.

LASCH, Christopher. A cultura do narcisismo: a vida americana numa era de esperançasem declínio. Rio de Janeiro; Imago Editora, 1983.

LE GOFF, Jaques e NORA, Pierre. História:Novas Abordagens; Novos Problemas; Novos Objetos. (3 vols.) Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1988.

________. História e memória. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 1996.

LEACH, Edmund R. Once a knight is quite enough (sic): Como nasce um cavaleiro britânico. Mana, Abr. 2000, vol 6, no1, pp. 31-56.

LEFEBVRE, Henri. La presencia y la ausencia: contribución a la teoría de las representaciones. México: Fondo de Cultura Económica, s/d.

LEFEBVRE, Henry. A Vida Cotidiana no Mundo Moderno. São Paulo, Ed. Ática, 1991.

LESSER, Jefrey. A negociação da identidade nacional: imigrantes minorias e a luta pela etnicidade no Brasil. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

LÉVI-STRAUSS, Claude. As estruturas elementares do parentesco. São Paulo: Edusp, 1976.

________. O Pensamento selvagem. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 1983.

LICHTENSTEIN, H. The dilemma of human identity. New York: Jason Aronson, 1977.

LIENHARD, Martín. Los testemonios populares y la cuestión de su lectura. Cuadernos de Literatura, vol.38,La Paz: Casa montes, 2001.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Ed. Barcarolla, 2004.

MARCUS, G. E. A estética do trabalho de campo contemporâneo em Arte e Antropologia, apresentação no Simpósio Internacional – Tradução e percepção – Ciências Sociais em diálogo. Disponível em  http://www.lisa.usp.br/simposio, acessado em 20/09/06.

MATOS, Olgária. Narrativa: metáfora e liberdade. In: história Oral. São Paulo: No. 4 junho de 2001, pp. 9-24.

MAUSS, Marcel & HUBERT, Henri. Sobre o sacrifício. São Paulo: Ed. Cosac Naify, 2005.

McCONKEY, James. The anatomy of memory: an anthology. New York: Oxford University Press, 1996.

MEAD, George Herbert. Mind, Self, and Society. Chicago: University of Chicago Press, 1934.

MONTE-MÓR, Patrícia. Sobre antropologia e imagem. IN: ABA, no 31, Museu Nacional, Departamento de Antropologia, 1999, p.15.

MOREIRA, Ruy. Formação do espaço agrário brasileiro. São Paulo: Brasiliense, 1990.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

MUNANGA, Kabengele. O anti-racismo no Brasil. In: MUNANGA, K. (org.). Estratégias políticas de combate à discriminação racial.  São Paulo: Edusp, 1996.

NADER, Ana Beatriz. Os autênticos do MDB. História Oral de Vida Política. Petrópolis: Paz e Terra, 1998.

NASCIMENTO, Evando (org.). Jacques Derrida: pensar a desconstrução. São Paulo: Estação Liberdade, 2005.

OLIVEIRA, Francisco. Os direitos do antivalor. Petrópolis: Vozes, 1998.

OUTHWAITE, W. e BOTTOMORE, T. (orgs). Dicionário do pensamento social do século XX. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1996.

PEIRANO, Mariza. Riruais ontem e hoje. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003, p.9.

PIZETTA, A. J. Formação e práxis dos professores de escolas de assentamentos: A experiência do MST no Espírito Santo. (Dissertação de Mestrado). Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, 1999.

PLUMMER, Ken. Identidade. In: OUTHWAITE, W. e BOTTOMORE, T. (orgs.). Op. Cit., p. 369, citando ERIKSON, E. Identity: youth and crises. S/d, 1968, p.31.

RANCIÈRE, Jacques. O dissenso. In: NOVAES, Adauto (org). A crise da razão. São Paulo: Cia das letras, 1996, pp.367-382.

________. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996.

RIBEIRO, Darcy. O Povo Brasileiro: A formação e o sentido do Brasil. Companhia das Letras. São Paulo. 1996.

RORTY, Richard. Verdade e Progresso. São Paulo: Manole, 2005.

ROSALDO, Renato. Culture and Truth: the ranking of social analisys. Boston: Beacon Press, 1989.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A crítica da razão indolente. Contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez, 2002.

________. Um discurso sobre as ciências. São Paulo: Cortez editora, 2005.

SANTOS, Myrian Sepúlveda. A luta da memória contra o esquecimento. In: Síntese Nova Fase 25, n. 82, 1998, pp. 351-368.

SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós-moderna: intelectuais, arte e vídeo-cultura na Argentina. Rio de Janeiro, Ed. UFRJ, 1997.

________. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras, Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

SELIGMANN-SILVA, Márcio (org). História, memória, literatura: o testemunho na Era das Catástrofes. Campinas: Ed. Unicamp, 2003.

SILVA, Maciel Henrique e SILVA, Kalina Vanderlei. Dicionário de conceitos históricos. São Paulo: Ed. Contexto, 2005.

SILVA, Vagner Gonçalves da. O antropólogo e sua magia: trabalho de campo e texto etnográfico nas pesquisas antropológicas sobre religiões afro-brasileiras. São Paulo: EDUSP, 2006.

SOTO, Angel. Historia y Memoria In: http://www.angelsoto.cl/2006/02/ historia_y_memoria.html, acesso em 10/01/07.

STREY, Marlene Neves (et al.). Psicologia social contemporânea: livro-texto. Petrópolis-RJ: Vozes, 1998

TAUSSIG, M. Mimesis and Alterity – a particular history of the senses. Routledge. New York and London, 1993.

TÉTART, Philippe. Pequena história dos historiadores. Bauru/SP: Edusc, 2000.

THOMPSON, Edward. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros. Rio de Janeiro, Ed. Zahar, 1981.

THYE, Shane R. & LAWLER, Edward J. Social identification in groups. New York: Elsevier Jai, 2005, p. 153.

TODOROV, Tzvetan. Nós e os outros: a reflexão francesa sobre a diversidade humana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história e Foucault revoluciona a história. Brasília: Ed. UNB, 1998.

WEIL, Simone. A condição operária e outros estudos sobre a opressão. 2ª. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

WHITE, Hayden. Metahistória. A imaginação histórica no século XIX. São Paulo: EDUSP, 1992.

WHITE, Hayden. Trópicos do discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. São Paulo: EDUSP, 2001.

ZELDIN, Theodore. Uma história íntima da humanidade. Rio de Janeiro/São Paulo: Ed. Record, 1996.

                                     Textos Diversos

História Oral: Como Fazer, como pensar
http://books.google.com.br/books?id=BECGGez8m1gC&pg=PA5&lpg=PA5&dq=false

Como nasce um cavalheiro britânico 15/07/2009
Autor: Edmund R. Leach
 
Omelete de amoras 15/07/2009
Autor: Walter Benjamin
 
Memória e identidade social 15/07/2009
Autor: Michael Pollak
 
Memória, esquecimento e silêncio 15/07/2009
Autor: Michael Pollak
 
Tramas e Traumas identidades em marcha 15/07/2009
Autor: Suzana L. Salgado Ribeiro
 
Uma História com Tempero 15/07/2009
Autor: Marco Antonio Reis

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: